O MENSAGEIRO - 04/2024

Índice de Artigos

 

CAPA-04-2024-FINAL

ELEITA NOVA DIRETORIA EXECUTIVA DA USE INTERMUNICIPAL DE ARARAQUARA PARA O TRIÊNIO 04/2024 A 04/2027

No último domingo, dia 28 de abril de 2024, às 10:00h na sede da USE Intermunicipal de Araraquara, situada na Av. Alagoas, 105, Vila Xavier, um marco significativo foi alcançado na história da União Intermunicipal das Sociedades Espíritas de Araraquara (USE Araraquara). Em uma assembleia que reuniu representantes de 15 Casas Unidas, foi realizada a eleição da nova Comissão Executiva que liderará a instituição no triênio 2024 a 2027.

Em um clima de cooperação e harmonia, os membros das Casas Unidas se reuniram para escolher os líderes que conduzirão os destinos da USE Araraquara nos próximos três anos. Após um processo democrático e transparente, a nova Comissão Executiva foi eleita por unanimidade, refletindo a confiança e o apoio de todas as entidades representadas.

A nova gestão, eleita com entusiasmo e comprometimento, assume a responsabilidade de dar continuidade ao trabalho realizado anteriormente, bem como de propor novas iniciativas e projetos que fortaleçam a missão e os valores da USE Araraquara. Após sua posse o novo Presidente da USE Araraquara, Raul Aderval Leiva se manifestou agradecendo a Deus e aos presentes pela confiança nele depositada e destacou que “não é o Presidente que faz a U.S.E. e sim todos nós”; fez um breve comentário de sua trajetória na Doutrina Espírita e confirmou a realização dos próximos eventos já assumidos pela Comissão Executiva anterior. Informou aos Membros presentes que, espera contar com a ajuda de todos na condução dos trabalhos frente a U.S.E.- Araraquara.

 Este momento histórico representa não apenas uma transição de liderança, mas também a renovação do compromisso coletivo de unir os espíritas com os ideais de amor, fraternidade e serviço ao próximo, seguindo sempre as orientações da Doutrina Espírita codificada por Allan Kardec. A eleição da nova Comissão Executiva da USE Araraquara é um testemunho do poder da união e da colaboração, valores fundamentais que sustentam o movimento espírita e inspiram a busca por um mundo melhor.

Que esta nova gestão seja abençoada com sabedoria, discernimento e amor, guiando os passos da USE Araraquara rumo a um futuro repleto de luz e evolução espiritual.

A nova Comissão Executiva ficou assim composta:

Presidente: Raul Aderval Leiva - S.B. Obreiros do Bem.

Vice-presidente: Marcia Antonia Toledo Pinto - C.E. A Caminho da Luz.

1º Secretário: Lucas Primani – Centro Espírita Francisco de Assis.

2ª Secretária: Diana Mazzola Barreto - C.E. Redenção.

1º Tesoureiro: Rafael Izidio - S.B. Obreiros do Bem.

2º Tesoureiro: Elenir Aparecida dos Santos - S.B. Obreiros do Bem.

Diretor de Patrimônio: Tomás Velosa Alonso - S. A. E. E. “Allan Kardec”

  

WhatsApp-Image-2024-04-28-at-142600

WhatsApp-Image-2024-04-28-at-142559

WhatsApp-Image-2024-04-28-at-142604

WhatsApp-Image-2024-04-28-at-142603

WhatsApp-Image-2024-04-28-at-142602

WhatsApp-Image-2024-04-28-at-142603

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 Nilza-04-2024 

Desafios - Nilza V. Mello 

“O Evangelho Segundo o Espiritismo”, de Allan Kardec, nos ensina que o Universo é a casa do Pai e que as diferentes moradas são os mundos que circulam no espaço infinito.  São moradas oferecidas aos Espíritos de acordo com o seu adiantamento.

Nascendo e renascendo inúmeras vezes, em épocas e lugares diversos, o Espírito passa por todo tipo de experiência. Com o desenvolvimento, adquire o livre-arbítrio e faz suas escolhas, dirigindo a sua própria vida. Dependendo do que escolher, terá consequências. Jesus disse: “Tudo aquilo que semeares, terás de colher”. Se fizer o bem, colherá o bem; se fizer o mal, terá como consequência o mal.

Os espíritos progridem intelectual e moralmente. Entretanto, no estágio evolutivo em que a espécie humana se encontra, num Plano de Prova e Expiação, em via de passar a Mundo de Regeneração, o desenvolvimento intelectual, que veio primeiro, ainda supera o progresso moral.

Sendo a encarnação necessária ao desenvolvimento do Espírito e essa é a sua principal finalidade, há pessoas que acham que o sofrimento humano é exclusivamente resultado de erros do passado. Na verdade, o sofrimento faz parte de um processo de mudança a que chamamos – evolução.

Consequentemente, não sofremos apenas porque temos “dívidas” do passado ou porque erramos, mas porque precisamos desenvolver as potencialidades que, muitas vezes, são estimuladas por momentos de desconforto, o que nos conduzem à perfeição.

O Espírito passa por diversas experiências: expiação, provação (vivência de situações mais ou menos difíceis que escolhemos para testar o nosso progresso), pela realização de missões especiais, no caso de Espíritos mais elevados, que até se sacrificam para trazer alguma importante contribuição aos diversos campos da atividade humana.

Assim sendo, somos levados a concluir que o crescimento espiritual acontece através do enfrentamento de desafios, que deverão ser superados e que constituem um aprendizado importante para o nosso aprimoramento espiritual.

Que desafios são esses e como enfrentá-los?

Desafios de toda ordem, enfermidade do corpo como forma de resgate, problemas de natureza psicológica, em forma de conflitos e dores morais, os quais proporcionam reflexões a respeito da fragilidade humana.

É importante lembrar que o enfrentamento desses desafios demanda conhecimento de si mesmo, esforço, empenho, persistência, paciência para vencer os caminhos a percorrer.

Não se deve temê-los, porque oferecem recursos para o desenvolvimento das potencialidades; por isso, é importante aceitar os empreendimentos que causam cansaço e aflições.

São eles que fortalecem o caráter e sublimam os sentimentos, proporcionando a todos o autocrescimento.

Durante as inúmeras encarnações, acumulam-se valores imprescindíveis para o prosseguimento da vida no além-túmulo.

Existem, também, condições necessárias para a superação dos desafios: mudar o modo de ver a si mesmo, de ver o mundo e relacionar-se com ele; alimentar sempre a fé no futuro e pensar na imortalidade da alma, estimulantes do progresso contínuo.

Quando não se aceitam desafios, produzem-se desequilíbrios que impedem nossa redenção.

Por isso, Joanna de Ângelis nos disse: “A calma inspira a melhor maneira de agir e sabe aguardar o momento próprio para atuar, propiciando os meios para a ação correta.

Preserva-te em calma, aconteça o que acontecer. Aprendendo a agir com amor e misericórdia em favor do outro, o teu próximo ou da circunstância aziaga, possuirás a calma inspiradora da paz e do êxito”.

 

BILIOGRAFIA:

 

“O Evangelho Segundo o Espiritismo” – Allan Kardec

“O Livro dos Espíritos” – Allan Kardec

“Fundamentos da Doutrina Espírita” – José Benevides Cavalcanti

“Vitória Sobre Depressão” – Joanna de Ângelis (psicografia de D. P. Franco)


 rubens  

Prevenções da Doutrina Espírita Contra Desequilíbrios - Rubens Araujo

A Doutrina Espírita, codificada por Allan Kardec no século XIX, apresenta uma visão holística do ser humano, integrando aspectos físicos, emocionais e espirituais. A Doutrina Espírita nos alerta que muitos desequilíbrios têm suas raízes em causas espirituais, bem como na atual existência e por isso, oferece práticas preventivas e curativas que visam o bem-estar integral.

Jesus, o Psicoterapeuta incomum, asseverou: Tudo é possível aquele que crê (Marcos: 9:23).

Vigilância do Pensamento - A Doutrina enfatiza a importância da vigilância dos próprios pensamentos. Pensamentos negativos podem atrair influências espirituais desarmônicas, enquanto pensamentos positivos e construtivos promovem a sintonia com espíritos elevados. No Livro dos Espíritos, precisamente na questão de número 459, Allan Kardec questionou os Espíritos: - Os Espíritos influem sobre nossos pensamentos e as nossas ações? – Tendo como resposta: - A esse respeito sua influência é maior do que credes porque, frequentemente, são eles que vos dirigem.

Conduta Moral Reta - Uma vida pautada em valores morais elevados é essencial para a saúde espiritual. A prática do bem e a honestidade nas ações cotidianas contribuem para a harmonia interior e a proteção contra influências negativas.

Reforma Íntima - A reforma íntima é o processo de autoconhecimento e transformação pessoal. Reconhecer e trabalhar as próprias imperfeições é fundamental para o progresso espiritual e o equilíbrio emocional.

Prece e Meditação - A prece é uma ferramenta poderosa para o equilíbrio e a conexão com Deus. A meditação e a prece sincera trazem conforto, clareza mental e auxílio espiritual. Portanto, a prece e o cultivo dos pensamentos dignificadores são o coroamento do processo curativo para o encontro da saúde e da paz.

Estudo e Educação - O estudo das obras espíritas e a educação moral são incentivos poderosos como meios de compreender as leis da vida e aplicá-las para o crescimento pessoal. Em geral as leituras edificantes propiciadoras de renovação mental e emocional, constituem valiosos recursos psicoterapêuticos ao alcance de todos.

Trabalho no Bem - O trabalho voluntário espontâneo e o auxílio ao próximo são práticas que contribuem para a saúde espiritual, promovendo alegria e satisfação interior.

Terapia Espírita - Para casos de desequilíbrio mais graves, a Doutrina Espírita recomenda a aplicação da bioenergia por meio dos passes e da água fluidificada que restauram o campo vibratório e revitalizam as células.

Conclusão - As práticas preventivas da Doutrina Espírita visam promover o equilíbrio e a saúde espiritual, promovendo alegria e satisfação interior. Lembrando que a grande terapia para todos os tipos de problemas que nos afligem é o amor. O amor em si mesmo, ao seu próximo e a Deus.

A crença na vida futura, por consequência, na imortalidade do Espírito e na sua destinação gloriosa, constitui a mais adequada autoterapia preventiva em relação aos desequilíbrios do momento, tais como: medo, ressentimento, culpa, ansiedade, violência, vazio existencial, estresse, fobias e depressão, bem como para sua superação, lembrando que a dificuldade de hoje é o preludio da conquista amanhã.

Desse modo, a fé no futuro acalma as aflições momentâneas sem o apoio do conformismo doentio, porém, proporcionando a coragem para vencer os impositivos perturbadores da atualidade.

 


 foto1

 Sociedade Araraquarense de Estudos Espíritas Allan Kardec (Ranchinho) completa 47 anos

            Por volta de 1976 o Sr. Alexandre Barbosa Jr teve a inspirada ideia de transformar, grande parte de uma chácara que possuía, em nosso querido Ranchinho. Tudo foi feito com o aval e total apoio de sua esposa, dona Zoraide. Assim, aos três dias do mês de abril de 1977, às 16h reuniram-se, com o propósito de formalizar a fundação da  SOCIEDADE ARARAQUARENSE DE ESTUDOS ESPÍRITAS “ALLAN KARDEC”, os sócios fundadores: Zoraide Bolzani Barbosa, Alexandre Soares Barbosa Neto, Marisa Barbosa Velosa, Saulo Tarso Barbosa, Zoraide Barbosa Zanetta, Hélcio Zanetta, Maria Luiza de Souza Ramalho, Marcos de Souza Ramalho, Luiz Gonzaga Seraphim Ferreira, Doraci Maria Paro Ferreira, Maria Jafelice, Flávio Thomaz de Aquino, Odair Lopes Costa, Ayrton Bizelli, Celso D´Avila Portrunelli, e Wagner Portrunelli.

            O entusiasmo e a vontade de ajudar o próximo permearam a fundação do Centro, Sr. Barbosa tinha grande preocupação com a questão doutrinária e Sra. Zoraide tinha os pensamentos voltados à necessidade de se educar crianças. De acordo com os ideais do grupo foram definidos os propósitos gerais da Sociedade, sintetizados no lema: “Estudo, Meditação e Trabalho”.

Os trabalhos iniciais eram constituídos de um lar de velhinhos “Lar Cruz Branca José Witzel Machado” o qual abrigava idosos carentes, realizando todos os tipos de cuidados. Também já havia um estudo com crianças carentes, o “Recanto Infantil Selene” o qual as ensinava os ideais da Doutrina. Era realizado todo tipo de trabalho desde entrega de sopas refeições, cestas básicas e comemorações de todos os tipos com as crianças.

Em 12 de abril de 1983, Sr. Barbosa e seus colaboradores encaminharam ao Digníssimo Prefeito Municipal, Sr. Clodoaldo Medina, ofício solicitando a autorização para instalar a "Banca do Livro Espírita Cristão Allan Kardec", na praça da Câmara Municipal, tendo por objetivo a difusão da Doutrina Espírita, sendo esta aprovada pelo poder publico e entrando em funcionamento em outubro de 1983, e, em 23 de março de 1985, passou a ser administrada pela USE Araraquara, a qual funciona até os dias de hoje.

Hoje, contamos com os esforços de diversos dedicados colaboradores, a Sociedade é uma entidade que presta assistência semanal a crianças e adultos, através de trabalho educacional prestado por voluntários, além de palestras, tratamento espiritual e grupos de estudos.

O Ranchinho Possui atividades de Segunda a Sábado presenciais tal qual era antes da pandemia incluindo as aulas em parceria com a Secretaria Municipal de Educação no “Centro de Educação Integral Ranchinho”, onde, diariamente, cerca de 240 crianças tem tido acesso a nosso espaço realizando aulas de música, artes, botânica, interação com a natureza e demais atividades complementares ao currículo oficial do MEC.

No ultimo dia 03/04/2024 então muito alegremente comemoramos e agradecemos a Deus os 47 anos de fundação de nosso Ranchinho com uma palestra proferida pela Presidente da USE Sr Marcia Toledo Pinto

Com alegria vemos hoje que nosso querido Ranchinho vem humildemente  seguindo no caminho que objetivou sua fundação e esperamos fazer jus a todas as bênçãos e inspirações vindas do Alto.

 

Aguardamos a visita de todos  !!

 

Fraternal  abraço!!

 

DIRETORIA EXECUTIVA SAEE ALLAN KARDEC (RANCHINHO)

 

 atividades

 

foto2

 

        foto7

          

 foto5

 

 foto4

  

foto-6

 

 


 Alvorada-de-luz-04-2024

CASA ESPÍRITA ALVORADA DE LUZ

Localizada na Av. Manoel da Nóbrega, 552, Parque Alvorada, há 18 anos abriu as suas portas para difundir a Doutrina Espírita.

Quando a Casa foi fundada, nossa estimada irmã, Sra. Adélia Beloddi Privato, sugeriu o nome Alvorada de Luz.

O significado de “alvorada” está relacionado com a transição entre a noite e o dia, representando um novo começo, renovação e esperança. É um momento de despertar, tanto literalmente como simbolicamente.

Na Bíblia, a palavra “alvorada” é mencionada em diversos contextos, e citada como um momento de renovação e oportunidade para buscar a Deus.

No espiritismo, a alvorada é vista como um momento propício para a conexão com o plano espiritual, quando as energias estão mais sutis e favoráveis à comunicação com os espíritos.

Assim, o nome vem de encontro com o propósito da Casa. Ela oferece a propagação da Doutrina Espírita para a renovação do homem, do estudo, da fraternidade, da oração e do trabalho, com base no Evangelho de Jesus, interpretado à luz da Doutrina Espírita.

As Escolas de Aprendizes do Evangelho- EAE oferece uma grande oportunidade para a transformação do ser humano, por meio do aprendizado e vivência do Evangelho, “… transformando o homem velho no homem novo” – Paulo de Tarso.

A Assistência Espiritual que funciona às segundas-feiras, 19h30, oferece um conjunto de atividades organizadas de modo a proporcionar reequilíbrio espiritual. Está fundamentada em preleções evangélicas, passes magnéticos e espirituais e atividades mediúnicas.

A Casa parece um jardim iluminado quando se realiza a Evangelização Infantil, aos sábados, 14h30, pois cultiva no Espírito da criança, desde o alvorecer da vida, o entendimento da prática das boas obras e o desenvolvimento das virtudes e do conhecimento espiritual.

Agradecemos ao Mestre Jesus pelas oportunidades de despertamento e renovação do nosso ser, sendo a Casa Alvorada de Luz um dos caminhos para o mundo de regeneração.

Diretoria


 aps-04-2024

 Competição X Colaboração - Lea C. Micelli

A palavra competir no dicionário da língua portuguesa significa – rivalizar, disputar.

Colaboração significa (da mesma fonte)- ajudar,  trabalho em comum.

Tenho abordado temas semelhantes, pois tenho presenciado com frequência, em ambiente profissional, e também em casas espiritas,   indivíduos competirem ou disputarem cargos.

Dentro de uma corporação, é muito frequente essa  competição.

Já dentro da casa espirita é esperada a colaboração- trabalho comum, para que a Causa fique em evidência.

Confundimos posturas, sem nos darmos conta, de como queremos ter razão e  começamos a competir ao invés de colaborar para o bem comum.

Claro que esbarramos no nosso orgulho, no nosso ego ferido.

Isso é esperado pelo nosso grau evolutivo, mas precisamos avaliar e analisar nosso comportamento se estamos dando a devida importância para a causa ou para o cargo que ocupamos temporariamente, quer na casa espirita ou na corporação.

É preciso autoanalise: o que estamos fazendo é para o bem comum ou para alguns com quem estamos convivendo temporariamente?

Essa convivência é extremamente necessária para que, possamos por em pratica o que estudamos e nos propusermos a vivenciar em nome da causa.

Não se trata de ganhar ou perder, mas de ter coragem de anular o eu para que o bem vença.

Nesses tempos de transição, onde tudo tem se mostrado, precisamos ser mais colaboradores e menos competidores.

Lea C. Micelli

Diretora do Departamento de Assistência e Promoção Social

USE Intermunicipal de Araraquara


 arlett-04-2024quem-somos 

 Quem Somos - Arlett R.C. Matheus

Somos espíritos imortais encarnados na terra. Somos visitantes dos tempos atuais e deste planeta. Estamos só de passagem!

Nosso objetivo é observar, crescer em conhecimento, em moralidade, em sentimento. Desenvolver o amor, evoluir.

A educação integral, aquela que abrange as necessidades da vida material e da vida espiritual, é o instrumento que proporciona um crescimento pleno, favorece o êxito da existência terrena, nos impele para frente. Vamos sendo influenciados nesse processo até atingirmos o estágio da autoeducação, em que buscamos aprender e nos aperfeiçoar para uma vida mais fraterna.

Piaget, o grande Educador e conhecedor da alma humana, falando sobre a educação da criança, aponta 3 fases essenciais no desenvolvimento moral: estado de anomia, seguido pelo de heteronomia e finalmente a conquista da autonomia, capacidade de governar a si mesma.

NOMIA significa regras.  Anomia, ausência de normas, de regras.

Na criança, o estado natural é de anomia. Ela age espontaneamente, sem submeter seus atos a preceitos, à avaliação de valores que ainda não desenvolveu.

Posteriormente, vive o estado de heteronomia quando a família, a escola e a própria sociedade, lhe transmitem conhecimentos, regras de conduta, valores, facilitando a convivência.

Aos poucos, assimilando o que lhe ensinam, despertado o raciocínio, chega ao estado de autonomia, o desabrochar da consciência moral, da capacidade de decisão, de analisar o que é ou não correto moralmente

O processo educacional, formal e informal, conduz a criança de seu egocentrismo para a autonomia moral e intelectual, em que ocorre o respeito mútuo e recíproco.

O espírito em evolução, tem uma trajetória igual da criança. Caminha da anomia, em seus estados primitivos, em direção a autonomia moral, num crescimento contínuo em que  o egoísmo, lenta e gradualmente, vai  sendo dissolvido.

Criado simples e ignorante, sem conhecimentos de qualquer espécie, o espírito, no entanto, é dotado de todas as faculdades em estado latente, mente pronta para aprender. Ao longo dos séculos, conforme as circunstâncias lhes sejam mais ou menos favoráveis, vai se desenvolvendo, progredindo para o estado de autonomia no bem. 

A questão 754 de O.L.E. esclarece que no espirito recém-criado, “o senso moral não está desenvolvido, mas não está ausente, ele existe, em princípio, em todos os homens. É esse senso moral que fará mais tarde seres bons e humanos. Ele existe, pois, no selvagem, mas como o princípio do perfume está no germe da flor, antes dela desabrochar”.

O espírito, em seu estado de anomia, apresenta um senso rudimentar de moralidade, que, embora rudimentar, o predispõe a uma ou outra direção. Uns optaram pelo mal desde o início e se tornaram responsáveis por ele, enquanto outros foram se desenvolvendo em direção ao bem. “Deus deixa ao homem a escolha do caminho”. O livre arbítrio predominou desde esse início, trazendo as diferenciações humanas.

O Espírito imortal vai vivendo seu estado de heteronomia e vai aprendendo a valorizar o Bem, o Direito, o Amor, até que entronize esse modo de ser, atinja o estado de autonomia.

As diversas encarnações, vão distanciando o homem de seu estágio primitivo em direção ao ser que vai ampliando a compreensão de suas imperfeições e, em as compreendendo, esforça-se para afastá-las de si. “...o desenvolvimento do senso moral enfraquece, pouco a pouco, as faculdades puramente animais”.

Jesus foi o espirito de luz que veio nos despertar para a vida futura. “Deus no-lo oferece como o mais perfeito modelo e a doutrina que ensinou é a mais pura expressão de sua Lei...” L.E. 625

“A vida abundante com o Cristo é aquela marcada pelos esforços em prol de si mesmo e da humanidade”

Sendo o egoísmo, a raiz das nossas imperfeições, muito difícil é afastá-lo.

Fénelon diz que o egoísmo se enfraquece com a predominância da vida moral sobre a vida material e, sobretudo, com a inteligência que o espiritismo nos dá do nosso estado futuro real. L.E.917

A Doutrina Espírita abre os horizontes para a vida imortal e essa consciência de imortalidade faz eclodir o senso do dever, o compromisso de conduzir a própria vida dentro desta perspectiva, a fazer o bem pelo bem, sem interesse de retribuição.

Estamos em processo para atingir essa autonomia moral.

 


BANCA DO LIVRO ESPÍRITA - USE ARARAQUARA

 Retornamos em horário normal de atendimento, lembrando:

De segunda à sexta-feira das 12h15 às 17h30 e aos sábados das 8h30 às 11h30.

Faça sua consulta de livros, reservas e encomendas!
Entre em contato pelo WhatsApp da Banca 16 99174-5577

NOVA-BANCA1 

banca-do-livro-01-2024

 Retornamos em horário normal de atendimento, lembrando:

De segunda à sexta-feira das 12h15 às 17h30 e aos sábados das 8h30 às 11h30.

Faça sua consulta de livros, reservas e encomendas!
Entre em contato pelo WhatsApp da Banca 16 99174-5577


  

 Vc-Sabia27-de-marco

  Você Sabia?

Como é que os Espíritos aparecem com as roupas que usavam na Terra? 
“Delas muitas vezes só têm a aparência. Aliás, quantos fenômenos sem solução não tendes entre vós? Como pode o vento, que é impalpável, arrancar e quebrar árvores, que são compostas de matéria sólida?”
— São Luís [1]

Nas edições da Revista Espírita de maio e junho de 1858, Kardec publica a primeira e segunda parte do artigo Teoria das Manifestações Físicas, um compilado de perguntas respondidas pelo Espírito São Luís. As roupas, assim como a aparência, são manipulações do fluido cósmico universal operados pelo Espírito, combinados com o do médium. Esta resposta é apresentada na primeira questão do segundo artigo:

“Ele combina uma parte do fluido universal com o fluido que o médium libera, próprio a esse efeito. À sua vontade, esse fluído toma a forma que o Espírito deseja; mas em geral a forma é impalpável.”

Semanalmente uma curiosidade doutrinária para o nosso aprendizado. 
Nos acompanhe!

NB [1]: KARDEC, Allan. Revista Espírita: Jornal de Estudos Psicológicos. ano 1, jun. 1858. Teoria das manifestações físicas (segundo artigo). Tradução de Evandro Noleto Bezerra. 5. ed. 1. imp. Brasília: FEB, 2014.